O naufrágio do Roumania

No dia 27 ou 28 de Outubro de 1892 o navio inglês Roumania naufragou a poucos kms a norte da barra a Lagoa de Óbidos devido a um grande temporal acompanhado de nevoeiro. Possivelmente o naufrágio deu-se de noite dado que alguns corpos apareceram nas praias em camisa de dormir. Apesar da proximidade da terra, a cerca de 200 metros, a violência das ondas e a força das correntes marítimas foram tais a ponto de passageiros morreram de exaustão. Naufragaram cerca de duas centenas de pessoas. A carga do navio era essencialmente constituída por chitas e fazendas, além de máquinas de costura. Transportava também material ferroviário destinado à construção de uma ferrovia na Índia, na época colónia inglesa. Várias pessoas da região recuperaram parte da mercadoria do navio que deu à costa, principalmente tecidos de chita. Em 1963 foi feito um levantamento da carga do navio e alguns trabalhos de desmantelamento e recuperação pela firma António M. Parreira Cruz e Herdeiros Lda.

O S. S. ROUMANIA veleiro inglês construído em 1889 que naufragou junto à barra da Lagoa de Óbidos a 28 de Outubro de 1892. Imagem retirada em 21/08/06 de: http://caminheirosdascaldas.com.sapo.pt/2006/01/57-passeio-naufrgio-ss-romania.htm

.

Em Portugal, a imprensa da época noticiou bastante o naufrágio: Correio da Noite; Novidades; Século; Caldense; Diário de Notícias, Distrito de Leiria. A imprensa inglesa também relatou a tragédia: The Times; The Liverpool Daily Post, entre outros. Entre os passageiros, na maioria escoceses, viajavam missionários, militares, funcionários do administração colonial e respectivos familiares, além dos indianos de quem pouco se fala.

.

Uma das seis sepulturas dos náufragos ingleses no cemitério da Serra do Bouro (Caldas da Rainha). Foto do autor.

.

Os corpos que deram à costa foram sepultados nos cemitérios da região (Serra do Bouro, Famalicão, Vau e Peniche). Na zona reservada aos túmulos dos náufragos, conhecida como "Cemitério dos Ingleses", situada no topo oeste do cemitério da freguesia da Serra do Bouro, estão sepultadas seis pessoas: duas crianças, uma de um ano e outra de dois anos e meio, e quatro senhoras. Todos estas são campas rasas à excepção da esposa do Revendo William Burgess, senhora Lillie Hay que tem uma campa diferente com uma lápide à cabeceira e com a data de 27 de Outubro de 1892. Há outros corpos resultantes do naufrágio aqui enterrados mas que não têm lápide. Até há poucos anos atrás o cemitério dos ingleses estava separado do cemitério dos católicos, devido aos facto de serem protestantes. Uma lápide comemorativa do centenário deste acontecimento da autoria da Junta de Freguesia da Serra do Bouro reza o seguinte: «Em 28 de Outubro de 1892, nesta costa naufragou o navio de nacionalidade inglesa S.S. Roumania. Alguns dos seus náufragos repousam sob estas lápides. Evocação do 1º centenário com a presença das autoridades locais e de entidades consulares britânicas. 12 de Dezembro de 1992».

Entrada do cemitério da Serra do Bouro (Caldas da Rainha), entrevendo-se a área reservada aos túmulos dos náufragos do Roumania. Foto do autor.

3 comentários:

Luís Bonifácio disse...

H+a já bastantes anos vi na RTP um documentário de produção própria no qual se dizia ter sido este naufrágio provocado pela própria população, que para isso simulou um falso farol.
Esta teoria tem algum crédito?

Marta disse...

Ótimo post, muito bem descrito.

Anónimo disse...

Muito legal o blog!!! Parabéns!

--------------
Matheus Blach
--------------
http://matheusblach.blogspot.com
http://www.eclesia.supercriativa.com
http://www.supercriativa.com