Antes dos marcadores de livros

Actualmente o marcador de livros é um acessório frequente nas nossas leituras. Quase sempre feito em cartolina, decorado, publicitário ou não, de formato rectangular, em média com 20 x 5 cm, tem a finalidade de sinalizar a página do livro onde a leitura ficou interrompida. Não sei quando surgiram os marcadores de livros propositadamente concebidos para este efeito, mas já há bastante tempo que os leitores recorrem a pedaços de papel improvisados, sem forma específica, muitas vezes documentos fora de uso, para marcarem as páginas dos seus livros. Numa biblioteca antiga, como a biblioteca do Palácio Nacional de Mafra, do Palácio Nacional da Ajuda, da Universidade de Coimbra, da Academia das Ciências de Lisboa, ou outra, podem-se encontrar "marcadores de livros" de outros tempos, esquecidos no interior dos livros, possivelmente a marcar ainda a página onde ficou uma leitura interminada. E aparece um pouco de tudo, qualquer papelinho servia para localizar a leitura, desde pedaços de manuscritos, cartões publicitários, endereços, rascunhos, bilhetes, recibos, etc... Apresento aqui alguns desses papelinhos, espécie de marcadores de livros do antigamente, encontrados numa biblioteca do século XVIII.
.
Cartão de uma loja comercial. Século XIX. (10. 5 x 6 cm)
.

Orações impressas em latim. Final do século XVIII, inicio do século XIX. (15 x 10.5 cm)
.

Bilhete de lotaria cortado. Séc. XIX. (10.5 x 4.5 cm)
.

Recibo de uma Contribuição Predial de 1855. (20.5 x 11 cm, frente)
.

Recibo de uma Contribuição Predial de 1855. (20.5 x 11cm, verso)

.

Cartão ilustrado. Século XIX. (15 x 11 cm)

1 comentário:

Professor Daniel disse...

Olá Rui!
Será para mim grande satisfação dialogar contigo. Vou investigar a respeito dos navios.
Daniel.